Pedras na vesícula: Saiba como reconhecer os primeiros sinais

Tempo de leitura: 3 minutos

Saiba tudo sobre Pedras na vesícula

Muitas pessoas sofrem com pedras na vesícula, porém sequer sabem que possuem os cálculos na vesícula biliar.

Bem como acontece em toda doença, assim que a pedra na vesícula surge é possível identificar os primeiros sintomas. No entanto, casos assintomáticos são muito mais comuns do que se imagina.

Exatamente por isso, é importante saber como reconhecer os primeiros sinais da pedra na vesícula.

Mas afinal, o que são pedras na vesícula?

A pedra na vesícula, também conhecida como colelitíase, é uma doença caracterizada pela formação de pequenas pedras na vesícula biliar, órgão localizado no lobo inferior direito do fígado.

Essa doença se manifesta com mais frequência em pessoas que já superaram os 40 anos, estão (muito) acima do peso, fumam com frequência, possuem diabetes e colesterol elevado, além de se manifestar com mais frequência em mulheres.  

Como identificar a presença de pedras na vesícula

A vesícula biliar é quem guarda a bile. Durante a digestão, a bile atravessa os canais biliares e chega ao intestino. Em resumo, a bile é um líquido esverdeado responsável por ajudar a digestão das gorduras.

Porém, a presença de pedras na vesícula atrapalha o serviço da bile ao bloquear o caminho, causando inflamação da vesícula e dor.

Bem como já citamos acima, o fato de não conter sintomas claros, e em alguns casos até inexistentes, a presença do cálculo pode passar despercebida. Em muitos casos, o paciente só descobre a doença ao realizar exames de rotina, como ultrassonografia.

A dica é ficar atento aos primeiros sinais de dor em cólica do lado direito do abdomen, pouco abaixo das costelas. Esse é um dos sintomas mais comuns e normalmente surge após a ingestão de gorduras e pode ser seguida de náuseas com ou sem vômitos.

Qual o tratamento mais indicado?

Após identificar a pedra na vesícula, vem a necessidade do tratamento. O mais indicado é buscar a orientação de um gastroenterologista. Esse profissional está habilitado para avaliar o tamanho das pedras.

Em diversos caso, as pessoas com pedras pequenas e que não sentem as dores são orientadas a tomar medicamentos para desfazerem as pedras. Entretanto os medicamentos não apresentam uma solução imediata e a dissolução dos cálculos podem levar alguns anos.

No caso das pessoas que sentem os sintomas com frequência, a cirurgia de retirada da vesícula é a solução mais indicada. Sem a vesícula, a função do armazenamento e distribuição da bile passa a ser do fígado.

Além da cirurgia de retirada da vesícula, existe ainda a opção de tratamento com ondas de choque para quebrar as pedras assim como acontece em alguns casos de pedras nos rins.

Previna-se

Assim como em toda a doença, prevenir é o melhor caminho. Porém se você já teve a pedra na vesícula e quer evitar que as dores voltem a se manifestarem, fique atento a alguns fatores.

A alimentação está entre os itens de grande importância e que precisa ser monitorada com bastante cuidado e disciplina. Dietas ricas em gorduras e carboidratos simples (pães), refrigerantes e dietas pobres em fibras devem ser descartadas do seu dia a dia.

Da mesma forma, pacientes diabéticos, tabagistas, hipertensos e que fazem uso prolongado de anticoncepcionais devem ficar com o radar sempre ligado.

Acesse nosso site e conheça nossas soluções notratamento das doenças cirúrgicas do trato gastrointestinal e parede abdominal

Acompanhe-nos no InstagramLinkedIn e Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *